• bernardocostaaguia

Criação de um ambiente comunicativo saudável para crianças que gaguejam: Vídeo + Questionário

A Andreia Agostinho, estagiária do Centro de Tratamento de Gaguez, produziu um vídeo direccionado aos pais e educadores de crianças que gaguejam, onde apresenta estratégias de promoção de um ambiente comunicativo saudável e encorajador. Após a visualização, pedimos que preencha um curto questionário relacionado.


  • Questionário: preenchimento (1 minuto de duração)

  • Criação de um ambiente saudável para crianças que gaguejam


Se o seu filho gagueja, é possível que se sinta preocupado e não tenha a certeza do que fazer para o ajudar. Queremos por isso que em primeiro lugar sinta que não está sozinho e que, SIM, existem diferentes formas de ajudar o seu filho que gagueja.


O primeiro passo é compreender a gaguez! A realidade é que a gaguez é muito mais do que as interrupções atípicas no discurso a que chamamos disfluências. E é importante referir duas características destas interrupções: elas são involuntárias e podem variar. Isto significa que há uma sensação de perda de controlo sempre que estas disfluências ocorrem e que as mesmas podem surgir com duração e forma variáveis, de pessoa para pessoa, de criança para criança, de dia para dia, situação para situação.


Associado a estas disfluências podem surgir, não só movimentos corporais em resposta a esta sensação de perda de controlo, mas também outras reações, sentimentos e atitudes.

Sabemos que as reações da criança à sua gaguez têm um papel crucial na forma como a mesma a experiencia. Sabemos também que a aprovação dos pais e de outras figuras importantes nos seus diferentes contextos de vida diária é muito importante para as crianças e para a forma como as mesmas se veem a si mesmas.


Deste modo, um primeiro passo (e dos mais importantes) que pais, familiares, professores, e/ou outros podem dar para ajudar uma criança que gagueja é apoiá-la no desenvolvimento de atitudes comunicativas saudáveis. Uma atitude de aceitação incondicional em relação às competências comunicativas da criança pode fazer toda a diferença. Afinal, o que queremos é que todas as crianças, quer elas gaguejem ou não, se sintam comunicadores competentes e confiantes para enfrentar todos os desafios do seu dia a dia!


Sobre a autora: A Andreia é estudante do 4º ano de Terapia da Fala na Escola Superior de Saúde do Instituto Politécnico de Setúbal e este vídeo insere-se na unidade curricular "Educação para a Prática IV", realizada sob a orientação da Terapeuta da Fala, Cátia Catita.



162 visualizações

© 2017 Centro Tratamento de Gaguez