• bernardocostaaguia

Gaguez: Ainda há "um longo caminho a percorrer" contra o preconceito



A jornalista Inês Dias falou com o Director Clínico do Centro de Tratamento de Gaguez, Gonçalo Leal, sobre uma "perturbação da fala que afeta cerca de 100 mil portugueses e 68 milhões de pessoas no mundo".


Entre outros tópicos, este artigo aborda:


  • As causas da gaguez - que durante muito tempo se pensou serem emocionais, mas que estudos recentes apontam para uma explicação neurológica, "relacionada com alterações na forma como o cérebro processa a fala";

  • As idades em que se manifesta - surgindo maioritariamente entre os 2 e os 3 anos de idade, mas podendo iniciar-se até aos 12;

  • A complexa questão da "variabilidade" - uma pessoa que gagueja pode gaguejar muito num momento e, pouco depois, falar de forma fluente sem razão aparente (i.e., a gaguez varia muito em diferentes situações comunicacionais, durante o mesmo dia ou até mesmo durante uma conversa, assim como difere significativamente de pessoa para pessoa).


Neste artigo, a jornalista teve, igualmente, oportunidade de conversar com Gerald Maguire, psiquiatra norte-americano que tem dedicado a sua vida à investigação da gaguez e ele próprio uma pessoa que gagueja. Na última parte do artigo, Gerald fala da sua experiência em lidar com a gaguez, abordando os tratamentos actuais e futuros desta condição da fala.


Um excelente artigo, que aborda algumas da mais importantes questões sobre a gaguez, publicado no Diário de Notícias a 9 de Setembro, e que pode consultar na íntegra através deste link.








29 visualizações0 comentário